Prefeitura reforça importância da vacina contra febre amarela

Ariane Caldas


Secretaria de Saúde

A Prefeitura de São José dos Campos reforça sobre a importância da vacinação contra a febre amarela, após o estado registrar um caso da doença em 2024.

O registro é de um óbito, no dia 29 de março. A vítima foi um homem, de 50 anos, morador de Águas de Lindóia e que se deslocava também pela região de Monte Sião, em Minas Gerais.

Outro possível caso da doença, em Serra Negra, está em investigação. O paciente já teve alta.

Em São José dos Campos, foram 13 casos confirmados em 2018, sendo que destes, 6 pessoas se contaminaram no município. Desde então, não houve mais casos autóctones da doença. Em 2019, houve a confirmação de mais um caso, de uma pessoa que se contaminou em outro município.

Vacinação

A vacina contra Febre Amarela faz parte do calendário nacional de imunização e está disponível nas 40 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) Resolve e nas 5 Unidades Avançadas presentes em todas as regiões da cidade.

Atualmente a cobertura vacinal em São José está em 19,47%.

Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que irão viajar para essas áreas devem imunizar-se pelo menos 10 dias antes do deslocamento.

Em caso de dúvida, é importante procurar uma unidade de saúde. Os endereços e horários de funcionamento das unidades estão disponíveis para consulta no site da Prefeitura. A vacinação se encerra uma hora antes do fechamento da unidade.

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença causada por um vírus e transmitida ao macaco e ao homem pela picada de um mosquito.

É importante destacar também que os macacos não transmitem Febre Amarela. A infecção se dá por meio de mosquitos silvestres, que vivem em zona de mata e não habitam o ambiente urbano das cidades.

Existem dois tipos de febre amarela: a silvestre e a urbana. A diferença das duas é o mosquito que carrega o vírus e o transmite pela picada.

Atualmente no Brasil só existe a febre amarela silvestre, que é transmitida pelos mosquitos que vivem na mata. Porém, temos que ter muito cuidado para a febre amarela não se tornar urbana, eliminando todos os criadouros do mosquito da dengue, porque ele pode também transmitir a febre amarela, caso se contamine com esse vírus.

A febre amarela é de notificação compulsória. Todos os casos suspeitos são investigados e são realizados exames pelo Instituto Adolfo Lutz para confirmar ou descartar o diagnóstico.

Na suspeita de um caso de febre amarela, o Centro de Controle de Zoonoses comparece ao local e faz ação de combate ao mosquito em um raio de 300m ao redor do local de infecção.

Sintomas

Os sintomas iniciais da febre amarela são:

– Início súbito de febre;

– Calafrios;

– Dor de cabeça intensa;

– Dores nas costas;

– Dores no corpo em geral;

– Náuseas e vômitos;

– Fadiga e fraqueza;

– A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Em casos graves, a pessoa infectada por febre amarela pode desenvolver algumas complicações, como:

– Febre alta;

– Icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos);

– Hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal);

– Eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Confira informações sobre a doença.


MAIS NOTÍCIAS

Secretaria de Saúde