Reservatórios contra enchentes na Grande Tijuca podem ser operados diretamente do Centro de Operações – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Um dos reservatórios fica sob a Praça Varnhagen – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

O Sistema de monitoramento dos reservatórios contra enchentes na Grande Tijuca foi aprimorado. O software que opera os conhecidos piscinões foi integrado ao Centro de Operações Rio (COR), permitindo que técnicos da Prefeitura acompanhem em tempo real a situação dos equipamentos e operem as bombas à distância. Antes, o acionamento era feito apenas no local.

Com o software, o COR obtém as informações sobre o nível da água dos reservatórios de forma automática. Os sensores instalados em cada piscinão, sob as praças da Bandeira, Varnhagen e Niterói, enviam dados por meio da internet para o sistema, que é acessado por técnicos da Prefeitura no COR. Os piscinões são operados pela Fundação Rio-Águas, que implantou o sistema de monitoramento unificado.

– Com um sistema de monitoramento automatizado e único, abastecemos o Centro de Operações com informações em tempo real sobre os reservatórios da Grande Tijuca, dando mais transparência e agilidade para o acesso aos dados. Principalmente em um momento de crise, é importante para as decisões dos técnicos – apontou o presidente da Fundação Rio-Águas, Wanderson Santos.

Os reservatórios podem acumular juntos até 118 milhões de litros de água para evitar enchentes, que equivalem a cerca de 50 piscinas olímpicas. Os piscinões fazem parte do sistema implantado na Grande Tijuca, assim como o desvio do Rio Joana, e contribuem para evitar as históricas enchentes na Praça da Bandeira e adjacências. O desvio do Rio Joana está em operação e conduz as águas excedentes que chegam a este rio, diretamente para a Baía de Guanabara.

-Em dias de chuva forte, o Centro de Operações é o grande quartel-general da cidade. Somos os responsáveis pelo acionamento de sirenes, mudanças de estágios operacionais do município, classificação de bolsões d’água e também acompanhamos em tempo real o monitoramento dos piscinões da Grande Tijuca – destacou o chefe executivo do COR, Marcus Belchior.

Marcações: Centro de Operações Rio fundação rio-águas Grande Tijuca piscinões Reservatórios